Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza

Tag: alicate

Vantagens da cutilagem russa para clientes e manicures
As mulheres russas são conhecidas no mundo inteiro por dois motivos: a beleza física e as unhas saudáveis. Tanto que grandes marcas de cosméticos de tratamento de unhas e cutículas são, originalmente, vindos da Rússia. E sabe qual é um dos segredos das russas nesse quesito? O modo de retirar a cutícula! Em vez de usar alicate, como nós, elas usam tesourinha. Neste post, vamos falar sobre essa técnica que, aliás, está bombando nos últimos meses por aqui e ainda pouca gente conhece. É a cutilagem russa ou manicure russa. No procedimento, o bom e velho alicate de cutícula é substituído por uma tesourinha própria para a região e uma lixa elétrica cilíndrica, que lembra uma broca. “Em vez de simplesmente empurrar ou mesmo cortar a cutícula com o alicate — o que normalmente favorece exageros por ser uma ferramenta muito cortante, estimula o crescimento contínuo da película e pode levar à retirada acidental de ‘bifes’ —, na cutilagem russa o profissional elimina delicadamente e com cautela o contorno da unha com a tesoura e a lixa”, explica Vanessa Castro, instrutora do curso de manicure do Instituto Embelleze unidade Santo Amaro, São Paulo (SP). Some a esses benefícios o fato de não ter mais aquelas “peles levantadinhas” crescendo em volta da unha, já que a cutícula não será removida, apenas aparada. A cliente fica feliz...   A manicure russa pode ser feita nas unhas das mãos e dos pés, e praticamente não há contraindicação. “Mas pode-se dizer que nos casos de cutículas muito finas e de diabéticos, a técnica é altamente indicada, por permitir ao profissional mais controle e delicadeza”, destaca Vanessa Castro. A técnica parece mesmo ser tudo de bom: além de reduzir a praticamente zero o risco de cortes, a manutenção é quinzenal, diferentemente do procedimento feito com alicate, que geralmente requer idas semanais ao salão. Isso, porque, como só é retirado o excesso de pele com a tesourinha, sem arrancar a cutícula, não há um crescimento acelerado e regular, dessa pele. Resultado: com o tempo, a cutícula que vai cobrindo a unha deixa de ser um fator antiestético. No final das contas, o procedimento quinzenal não chega a representar uma contenção de custo, já que o valor da cutilagem russa é dobro da manicure tradicional — o que fica elas por elas. Por outro lado, tem o ganho de tempo, já que as visitas ao salão são quinzenais. Se durante a quinzena a cliente reclamar do desbotamento do esmalte (já que vai levar mais tempo para ela voltar para o salão), sugira que ela aplique um top coat antes de terminar a quinzena, para dar um up na cor e no brilho das unhas. Ah, e repita para ela a velha e boa dica (superútil) de usar luvas durante os afazeres domésticos para preservar ainda mais o esmalte. Uma dica: ressalte os benefícios da cutilagem russa listados aí acima para as suas clientes apostarem na novidade! Ok, a gente sabe que não é nada fácil mudar a tradição do alicate, tão forte para as brasileiras. Mas o protocolo russo tem todo potencial para fazer a cabeça das mulheres e cair no encanto. Num primeiro momento, é comum que algumas clientes nem queiram conhecer a cutilagem russa por “ter ouvido falar” que se trata de um procedimento caro. Então, é aqui que entra a habilidade do profissional de explicar tudo direitinho, com detalhes.   O profissional em manicure sai ganhando... Investir na cutilagem russa é um diferencial para a carreira de manicure. Isso mesmo. É preciso acompanhar as novidades e tendências para ser visto de forma diferente e até se tornar uma referência no domínio de técnicas moderninhas entre as clientes. A cutilagem russa é uma excelente oportunidade para dar um up no seu menu de serviços. Apesar de ser um procedimento que já existe, a febre é agora! Conclusão: vai ganhar quem oferecer o serviço do momento. Sem contar que o espaço de beleza que sai na frente com novidades desse tipo ocupa outro patamar no mercado, muito acima de quem continua oferecendo o básico. Há mais chances de fidelizar clientes com serviços exclusivos ou diferenciados. E, claro, o profissional também se torna especial, tendo uma formação acima da média, especialmente nesse caso que envolve saúde por se tratar de cuidado com as cutículas. O profissional inspira confiança, credibilidade. Cutilagem russa passo a passo   Entenda, a seguir, como é feita cada etapa da técnica que é sucesso e, depois, é só se lançar para experimentar! 1 O esmalte (ou resíduos) é retirado com removedor sem acetona. Depois, as unhas são molhadas suavemente com água. Após enxugadas, recebem um hidratante. Quanto mais grossa e grande a cutícula, mais tempo é necessário para o produto agir e amolecer a estrutura. Já as cutículas mais finas nem precisam tanto desse recurso do creme, é opcional. 2 Em vez de utilizar a espátula para empurrar a cutícula, na cutilagem é usada a broca, que nada mais é do que uma lixa cilíndrica elétrica. Esse é o grande lance da manicure russa. A função dessa ferramenta é levantar a película, facilitando a etapa seguinte (corte com a tesourinha), e polir a unha, removendo as peles que ficam aderidas à superfície. 3 Com a cutícula suspensa e descolada fica muito mais fácil removê-la com a tesourinha, que tem uma curvatura na ponta que acompanha a anatomia dessa estrutura de pele. Lembrando que, no caso de cutículas muito finas ou discretas, nem é necessário remoção com a tesourinha, basta o polimento com a broca. 4 A partir daqui a esmaltação é feita normalmente, conforme o método de cada profissional.     Gostou? Deixe o seu comentário e compartilhe o post com a sua rede de amigos!  
> Leia mais
SAÚDE DAS UNHAS
É verdade que no salão a gente gosta de bater papo e de relaxar para se afastar das preocupações. Mas prestar o mínino de atenção em algumas coisas, dar aquela geral no ambiente (especialmente se é sua primeira vez) antes de se sentar na cadeira, é essencial para não colocar a sua saúde em risco. Repare nestes cuidados ao fazer as unhas na manicure:  O profissional utiliza luvas? E máscara? O alicate está embalado individualmente e armazenado em local exclusivo, com controle da data de validade da esterilização? Você recebe um kit individual de lixas e palitos? Consegue ver uma autoclave no ambiente? As toalhas são trocadas a cada novo atendimento? Esses itens são obrigatórios num estabelecimento, pois são a garantia de que a saúde do cliente não será colocada em risco.   Questão de saúde Uma pesquisa especializada, da enfermeira Andréa Schunck, mostrou que, em São Paulo, uma em cada 10 manicures tinham hepatite. E sabe qual é uma das principais razões? A maioria não sabe esterilizar corretamente os instrumentos de trabalho, não utilizam luvas, desconhecem os procedimentos de higiene e as instruções da ANVISA. Boa parte desse problema se deve à carência de profissionais capacitados. Muitas manicures ainda não possuem um curso de formação profissional. Aprenderam a esmaltar e cortar cutícula sozinhas, sem saber que para ser manicure é preciso ter conhecimento nas áreas de microbiologia, biossegurança, equipamentos de proteção individual, fisioanatomia da pele e das unhas. Para evitar a contaminação de doenças infectocontagiosas, tanto a manicure quanto o cliente devem estar atentos aos cuidados de biossegurança. “Fungos, bactérias e vírus patogênicos são responsáveis por diversas doenças que podem ser transmitidas em um salão de beleza, quando medidas de biossegurança não são seguidas à risca. “Cumprir o que a ANVISA determina, tornou-se uma obrigação para todas as manicures”, afirma a gerente educacional do Instituto Embelleze, Marília Saveri. “O salão de beleza tem a obrigação de cobrar que as carteiras de vacinação de seus profissionais estejam em dia e de cobrar a utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs), como luvas, máscaras e jalecos. A esterilização dos instrumentos e o descarte de lixo devem seguir os protocolos estabelecidos”, ressalta Marília. Mais do que proporcionar um bom atendimento ao cliente, com simpatia e cordialidade, mais do que conhecer as técnicas de cuticulagem e esmaltação, uma manicure profissional deve zelar pela integridade, pela segurança e pela saúde.   Veja também como manter as unhas bonitas e fortes!Conheça o curso de Manicure e Pedicure Profissional ou visite uma Unidade Embelleze mais próxima de você.  
> Leia mais
COMO TER UNHAS BONITAS E FORTES
Abordando todos os aspectos, desde a atenção em casa à manutenção no salão de beleza, vamos destacar os principais motivos pelos quais você deve se preocupar em ter unhas saudáveis antes mesmo de pensar na próxima cor que irá usar. Assim, você ganha unhas bonitas e fortes, diminuindo o risco de contaminações e prevenindo a proliferação de bactérias. Então agora foca nas dicas porque saúde também faz parte da beleza! Cuidados em casa Para começar, observe semanalmente se não há nada incomum nas unhas das mãos ou dos pés. Observe se suas unhas têm manchas, texturas diferentes ou até mesmo mudança na coloração. Se perceber algum sinal novo, talvez seja o caso de procurar um médico, pois o estado das unhas pode, sim, ter relação com a saúde do corpo. Feita a inspeção, vale lembrar que a limpeza das unhas e a lavagem constante das mãos ajudam a evitar o acúmulo de bactérias. Em casa, você também pode controlar alterações, como pequenas lascas que venham a ocasionar a quebra da unha. É possível combater isso lixando delicadamente a unha danificada sempre que notar que ela está em risco. Fortalecimento das unhas Unhas fracas quase sempre estão relacionadas à falta de nutrientes no organismo, má alimentação, o que pode ser resolvido com a ajuda de vitaminas recomendadas por um médico. Mas existem produtos específicos que contribuem para fortalecer as unhas, como bases fortalecedoras e hidratantes com vitaminas. Ah, manter as unhas hidratadas é sempre bom, pois aumenta a força delas e evita o ressecamento da cutícula. Outra dica importante é não pesar a mão na lixa para evitar que as unhas fiquem mais finas e se quebrem com facilidade. Se esse é o seu caso, uma solução pode ser o alongamento de unhas. Atenção no salão de beleza Tanto em casa como no salão, o compartilhamento dos acessórios usados para fazer as unhas não é recomendado, a não ser que os aparelhos sejam muito bem esterilizados. Quando falamos de higiene e esterilização não se trata de desinfetar as ferramentas com álcool ou produtos de limpeza, mas sim de utilizar instrumentos ideais para a limpeza profunda, como os aparelhos esterilizadores. O uso de luvas e a troca dos acessórios, como toalhas e capas para o apoio de pés também é obrigatória. A biossegurança é muito importante dentro de um salão de beleza e seus funcionários precisam sempre estar atentos às regras para evitar a contaminação. Além disso, o excesso de cuidado também pode se tornar um vilão para a saúde como um todo, gerando contaminação. Remover a cutícula com frequência, sem respeitar os limites das camadas, pode ser uma porta aberta para bactérias. Do mesmo jeito, o tempo de exposição das unhas os esmaltes podem enfraquecê-las e dificultar a visualização da proliferação de fungos. A dica é: tirar somente o necessário das cutículas e deixar a unha respirar  pelo menos um dia sem esmalte antes de ir ao salão aplicar a próxima cor arrasadora.   Conheça todos os cursos do Instituto Embelleze pelo site ou visite uma unidade mais próxima de você!
> Leia mais
Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!
Copyright © 2021 · Todos Direitos Reservados