Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza
Voltar

Cabelo

CICATRIZAÇÃO CAPILAR: ANTÍDOTO CONTRA CABELOS DANIFICADOS
Na prática, cabelo danificado significa: quebradiço, poroso, ressecado, com frizz, pontas duplas, aspecto palha e sem brilho. Pura falta de saúde e vitalidade dos fios. De acordo com Elaine Cristina Carneiro, instrutora do curso de cabeleireiro do Instituto Embelleze Cidade Dutra, de São Paulo (SP), são vários os fatores que deixam o cabelo danificado e com a fibra rompida. “Geralmente, os hábitos do nosso dia a dia acabam detonando os fios, como usar secador e prancha em alta temperatura sem proteção térmica, fazer químicas (descoloração, progressiva, alisamento, permanente, coloração) sem fortalecer as fibras capilares antes, tomar sol e banho de piscina com frequência... Tudo isso leva à perda de hidratação, queratina (proteínas), vitaminas e aminoácidos, tornando o cabelo poroso, elástico ou quebradiço”, esclarece a profissional. Embora a solução mais rápida para eliminar o estrago seja cortar, você não precisa ser radical. Basta fazer uma cicatrização capilar, o tratamento do momento em muitos salões de beleza. O que é a cicatrização capilar Uma vez rompida a fibra do cabelo, que leva à fragilidade extrema, é preciso um tratamento efetivo para que os danos não se tornem ainda piores. E, claro, reverter o quadro e reconquistar fios alinhados, mais macios, hidratados, saudáveis e com a cutícula fechada. Nesse caso, o ideal é fazer a cicatrização dessa fibra destruída. Antes, porém, precisamos entender o mecanismo de resistência dos fios. O cabelo é composto de 80 a 90% de queratina (proteína) e esta queratina se desgasta naturalmente com a ação do tempo (vento, sol), do sal, do cloro ou no simples ato de pentear as mechas, no atrito com o travesseiro e também com o uso de produtos químicos, deixando assim os cabelos danificados quebradiços, porosos e opacos. “A cicatrização nada mais é que a reposição dessa queratina com uma combinação de hidratação e nutrição power, que recupera e mantém o cabelo saudável”, explica Elaine Cristina. Como é feita a cicatrização capilar O tratamento é relativamente simples. O segredo está na combinação dos ativos utilizados nos produtos aplicados no salão de cabeleireiro pelo profissional. Primeiro, é aplicado um xampu à base de ceramidas, D-pantenol e aloe vera. Em seguida, usa-se máscaras que contêm lipídios e proteínas, como, complexo de aminoácidos, proteínas do trigo, ácido  hilauriônico e arginina. Por fim, o cabeleireiro aplica reconstrutores, finalizadores e protetores térmicos. O período de manutenção vai depender da condição dos fios, do nível de dano. Mas geralmente, a manutenção pode ser feita a cada 30 ou 60 dias. Enquanto isso não acontece, é importante fazer uma hidratação e nutrição semanal em casa mesmo, com xampu e condicionador adequados (com os ativos utilizados no salão), para manter os benefícios da cicatrização capilar. Interessada em saber mais sobre cuidados com os cabelos e todos os tratamentos profissionais para a beleza dos fios? Inscreva-se no curso de cabeleireiro do Instituto Embelleze. O curso capacita o estudante para a realização das mais variadas técnicas de atendimento em cortes, coloração, tratamentos capilares, modelagem, e transformação capilar: alisamento, relaxamento e encacheamento. Além disso, aperfeiçoa os conceitos de excelência no atendimento ao cliente, bem como instrui sobre fatores comportamentais que assumem uma condição de extrema relevância neste nicho de mercado. O futuro profissional ainda aprende conceitos sobre tricologia, biossegurança, visagismo. Não é o máximo? Espalhe a notícia para os amigos e deixe aqui os seus comentários!
> Leia mais
Cortes de cabelo com franja: qual é o seu?
Isabelle Drummond, Debora Nascimento e Letícia Colin são as atrizes que acabaram de dar uma repaginada na aparência aderindo ao corte de cabelo com franja. Mas tem uma lista enorme de outras tantas celebridades nacionais e internacionais que também já apostaram no estilo. Em 2019, as franjas curtinhas ou alongadas, retas ou desfiadas, cortininha ou arredondada são as mais pedidas. Para investir na trend sem erro, o ideal é associar o corte da franja com o do comprimento do cabelo para formar um conjunto harmônico. A expert Francine Carvalho, instrutora do curso Cabeleireiro Profissional, do Instituto Embelleze de Taubaté (SP), indica quais cortes de cabelo com franja estão em alta e combinam com os diferentes tipos de rosto e de fio. As dicas são ótimas para quem é profissional e quer seguir a carreira Master em Cortes, que associa as especialidades cabeleireiro e design em cortes femininos. Dê uma olhada também no vídeo que a Francine fez demonstrando um corte de cabelo com franja antes e depois — está logo no final deste post.   FRANJA CURTA   Atualmente chamada de baby bang, a franja curtinha é perfeita para mulheres ousadas e de rostos com traços delicados, não importa o formato. Ela pode ser cortada bem reta e certinha no meio da testa, como a da atriz Letícia Colin, ou ter as pontas desfiadas com navalha, criando um ar moderno e urbano. No cabelo crespo ou ondulado, a franja com cachos forma uma moldura mais desconectada e também pode ser usada lateralmente. Corte que combina com a franja curta:  O longo com base reta é uma opção, assim como o Chanel médio ou curto, também chamado de short bob. Outro corte que combina muito com a ousadia da franja curtinha é o joãozinho ou pixie. Dicas para pentear: No liso - Faça uma escova em todo o cabelo. Despenteie as pontas e aplique spray fixador. No cacheado - A franja pode ser definida com pomada para modelar, espalhada com leves toques das pontas dos dedos.   FRANJA ALONGADA Para quem gosta de um look irreverente, este é o ideal. Longa, a franja é desfiada com tesoura desde o início da testa até a altura da orelha. Deve ser mantida na lateral se o seu rosto é do tipo coração ou triângulo invertido: ela desvia o olhar para o queixo. No rosto muito comprido ou redondo, esse tipo de franja acentua os formatos, por isso deve ser evitado. Donas de traços delicados podem usar a franja longa dividida ao meio, como a atriz Dakota Johnson. Esta franja no cabelo cacheado é perfeita, pois ajuda a modelar o corte. Corte que combina com a franja alongada: Corte com volume nas laterais e franja cobrindo a testa, na altura da sobrancelha (ou um franjão), é a melhor pedida. No cabelo cacheado, diminua o volume do topo e abuse do volume próximo ao queixo. O comprimento long bob, Chanel desconectado e o corte repicado em camadas longas, a partir da franja, são boas pedidas. Dicas para pentear:  No liso – Aplique um creme de modelagem nos cabelos úmidos, faça uma escova e passe chapinha apenas nas pontas para marcar bem o repicado. No cacheado – Borrife spray definidor de cachos em todo o cabelo e amasse a frente com a ponta dos dedos.   FRANJA ARREDONDADA Ela vai contornando o rosto até chagar às laterais. A parte do meio fica na altura das sobrancelhas e os lados alongam até as orelhas. É o estilo perfeito para mulheres com rosto quadrado ou oval. Em faces redondas a tendência é o corte arredondar ainda mais, portanto, evite. Fica bem em fios lisos ou ondulados, porém grossos e bem pesados. Corte que combina com a franja arredondada: Cabelo longo ou médio com base reta sempre fica bem com esta franja. Por causa das laterais compridas ela cai muito bem no penteado preso. Se o seu cabelo é cacheado, aposte no corte arredondado com volume nas laterais. Dicas para pentear:  No liso – Faça escova arredondando todo o cabelo e a franja. Capriche nos lados. No cacheado – Aplique definidor de cachos e modele a frente e as laterais com babyliss para marcar bem o formato redondo do corte.   FRANJA RETA É o tipo que cobre as sobrancelhas e combina com os cabelos que têm a base reta. Deve ser sempre cortada milimetricamente na altura das sobrancelhas e depois toda desfiada nas pontas com navalha. No cabelo cacheado as pontas desconectadas devem ficar mais em evidência, ok? O ideal é que o cabelo seja encorpado. Cai como luva no rosto redondo. Corte que combina com a franja reta: Cortes na altura do ombro ou abaixo dele são os mais indicados, pois a franja reta combina com um visual mais pesado. No cabelo ondulado a franja reta pode ser menos espessa. No curto, o volume das mechas deve se concentrar no topo e não nas laterais. Dicas para pentear:  No liso – Desarrume toda a franja, levantando a raiz. Em seguida, faça movimentos como se estivesse dando beliscões pra deixar alguns fios soltos e despenteados. Para terminar, aplique spray fixador. No cacheado –  Deixe a franja cacheada, definida com pomada ou babyliss ou faça uma escova nela para compor um visual divertido com o restante do cabelo cacheado.    
> Leia mais
Como fazer a transição capilar sem sofrer
Celebridades, como a cantora Ludmilla e até a ex-primeira dama americana, Michelle Obama, estão arrasando com seus cachos naturais depois da transição capilar. O processo consiste em recuperar e assumir o formato ondulado ou crespo depois de ser lisa por um determinado período de químicas artificiais. Sair da progressiva, escova definitiva, relaxamento ou outros métodos não é nada fácil, a gente sabe, afinal demanda muita paciência e cuidados especiais durante um bom tempo. Mas quem já encarou a situação assina embaixo: vale a pena! E é justamente essa propagação positiva a responsável pela forte tendência na adesão de cada vez mais mulheres à transição capilar. Entre os motivos relevantes dessa mudança de comportamento estão o poder nocivo das substâncias que alisam e a libertação de ter um cabelo cacheado natural (e por consequência mais saudável!). Se você é cabeleireiro profissional, saiba que pode ajudar e muito sua cliente “artificialmente lisa” a resgatar os fios naturais. Precisa de uma orientação? Então siga o nosso guia completo que ensina a passar por todas as etapas da transição capilar sem sofrer.       A cantora Ludmilla e Michelle Obama antes e depois da transição capilar      FASE 1 – Abandonar a química A partir do momento que você decide não retocar mais o procedimento químico, é preciso segurar a ansiedade e começar a exercitar a paciência. Para uma transição capilar sem drama ou complicações, a melhor saída é focar no objetivo de recuperar os fios naturais e a saúde do cabelo. “Isso porque o processo pode ser demorado e diferente para cada tipo de cabelo, então é preciso saber esperar. E não tem como mensurar o período exato que é necessário, deve ser analisado caso a caso. É bom ter em mente que nenhum produto é milagroso, o melhor aliado nesse projeto é mesmo o tempo”, enfatiza Douglas Baptista, cabeleireiro e gestor Pedagógico do Instituto Embelleze Franchising. Outro ponto importante é que quanto maior a diferença de textura entre os fios naturais e os processados quimicamente, maior a necessidade de saber esperar. Mas além de resiliência, alguns métodos podem ajudar bastante como penteados que disfarçam, um bom corte (na hora certa!), produtos que nutrem e hidratam e cuidados essenciais no dia a dia. Tudo isso pode amenizar a angústia dessa fase de ansiedade. “Esse arsenal de alternativas, além de auxiliar na beleza e saúde do fio, auxilia na harmonização de texturas similares entre pontas e raiz e no crescimento do cabelo, fazendo com que o período da transição capilar passe mais rápido”, garante Douglas. FASE 2 – Esperar o cabelo crescer Além da paciência, a transição capilar ainda envolve a autoestima, tema delicado para as mulheres. No entanto, existem alguns cuidados especiais para resistir (e persistir) com tranquilidade neste período em que o cabelo fica sem forma e com um volume indesejado. Hora de se munir com alguns truques espertos para viver em paz com a raiz ondulada e o comprimento liso: Não vá contra a natureza. Pense sob o ponto de vista de aceitar o cabelo como ele é, e assumir sua identidade. “Isso significa, antes de qualquer coisa, uma desconstrução de padrões, o que é libertador tanto físico quanto socialmente”, destaca Douglas Baptista. Afinal, quem disse que cabelo bonito é necessariamente liso? Essa aceitação do natural só aumenta a autoestima e favorece bastante o processo de resgate dos cachos. Aproveite para brincar com a sua imagem. Use o período de transição capilar para abusar dos acessórios e adotar um visual diferente. Lance mão de lenços, turbantes e bandanas – os tecidos estão super em alta como adorno de cabeça. Então, se joga! Penteados são sempre um sucesso. Não faltam opções para deixar os cabelos presos com estilo: moicanos, tranças embutidas nas laterais ou partindo da região da frente da cabeça e, claro, o clássico rabo de cavalo são bem-vindos. E para quem gosta de sair do lugar-comum, os famosos apliques e as extensões capilares também podem ser muito úteis nesta fase da transição capilar. Não hesite em optar pela texturização. Isto é, uma técnica para disfarçar a diferença entre as duas texturas: a do cabelo cacheado que vai nascendo e a da parte alisada que vai perdendo o jeito de fio reto e pode ficar com uma ondulação estranha. O método da texturização é simples: consiste em cachear a parte alisada com bobes ou bigudinhos. A dica aqui é evitar ferramentas de calor, como o babyliss, por conta da fragilidade em que o fio se encontra. Invista no cosmético certo. Neste período da transição capilar, os fios estão mais porosos, sem vida e quebradiços, portanto é indispensável investir numa linha de xampu, condicionador e leave-in rica em proteínas e ativos emolientes e regeneradores, os mesmos indicados para cabelos secos e quimicamente danificados. Uma vez por semana é preciso fazer um protocolo com uma máscara bem hidratante para repor a água dos fios, que pode ser potencializada com o uso de uma ampola power, também de hidratação. Além disso, alguns detalhes ajudam e muito! Veja só: A ideia é não economizar nos cremes de pentear, leave-ins e máscaras de finalização, que ajudam a dar forma ao cabelo e, por consequência, mantê-lo domado. Fuja dos xampus anti-resíduos ou de limpeza profunda, porque são agressivos. A transição capilar fragiliza a fibra e é comum ela quebrar e cair com um pouco mais de facilidade. Formulações suaves, como nos produtos Low e No Poo, higienizam na medida certa. Elas contêm pouco ou nenhum sabão detergente, evitando, assim, que os tratamentos de hidratação sejam removidos, mantendo o fio hidratado e nutrido. Invista da linha DNA do Cacho, da Embelleze, para tratamentos em salão, além de cuidar da saúde do fio, mantém uma curvatura bonita e natural, mesmo na etapa difícil da transição capilar. FASE 3 – Cuidar intensamente da saúde dos fios O fio danificado por químicas alisantes perde sua proteção natural – as cutículas; e, com o tempo, fica desidratado, sem nutrientes e com pouca matéria. Sim, não sobra quase nada! O cronograma capilar é fundamental nesta fase. Os tratamentos do calendário, que alternam hidratação, nutrição e reconstrução são muito úteis, pois têm princípios ativos diferentes e se complementam fornecendo aos fios tudo o que eles precisam na etapa de fragilidade extrema. A hidratação, feita com máscaras concentradas, repõe a água. A nutrição recupera o lipídeo (aquela oleosidade natural da raiz que nutre o fio) e os ativos essenciais, e pode ser feita com óleos comerciais, de linha, ou os naturais como, por exemplo, o de coco, amêndoa ou oliva. A reconstrução é essencial para recuperar a queratina e formar de novo a cadeia de aminoácidos que reestrutura o fio danificado por químicas pesadas, como as dos métodos de alisamento. Geralmente, os produtos ideais para reconstruir o fio são à base de óleos e manteigas, como os de karité, argan, murumuru. FASE 4 – Livrar-se de vez da parte lisa do cabelo Quando chega a fase em que já é possível cortar uma boa parte dos fios alisados e começar a dar forma ao caimento dos fios naturais é sinal de que a angústia da transição capilar está chegando ao fim! No entanto, é preciso conhecimento para saber qual o momento certo de recorrer à tesoura. Dependendo do caimento do cabelo, quando a raiz crespa começa a crescer, o comprimento costuma ficar muito irregular, por isso é importante ouvir a opinião de um cabeleireiro. Em alguns casos o corte reto, o mais desejado pelas mulheres por significar “adeus à tortura”, pode deixar as pontas desiguais e não ter um caimento harmônico. Já o corte em camadas é quase sempre a melhor solução, pois ele traz simetria ao cabelo. Mas ainda assim é importante analisar caso a caso, pois essa teoria pode não se aplicar para algumas mulheres. Só mesmo um profissional especializado para indicar a hora e o estilo do corte correto. As mais corajosas costumam cortar o mal pela raiz, literalmente. Se jogam no corte radical, bem curtinho, conhecido como Big Chop – nesse caso, não há nenhuma contraindicação, é só querer.    A atriz Nathalie Emmanuel também decidiu assumir os lindos cachos
> Leia mais
Guia de cores de cabelo 2019
Embora a coloração do cabelo da atriz Juliana Paes esteja fazendo o maior sucesso, os castanhos não reinam absolutos nesta estação. Também são destaque as cores de cabelo loiro, vermelho e preto. Outra novidade são as luzes marcadas em tons que contrastam aos de base para iluminar o visual. Há opções para quem prefere nuances naturais, exóticas, suaves ou intensas. Animada para mudar o visual? Então preste atenção neste conselho: quem vai fazer uma mudança radical ou quer dar um efeito especial aos fios nunca deve arriscar a tingir o cabelo em casa. Procure um profissional qualificado para avaliar as condições das suas madeixas e determinar a melhor técnica para realizar a transformação sem danos, ok? Só para ter uma ideia dos perigos, se a estrutura capilar estiver muito danificada ou porosa, a nova coloração pode ficar manchada, pois algumas mechas absorvem mais o pigmento do que outras. É importante fazer uma hidratação prévia com produtos identificados como pré-colorantes, que promovem o fechamento das cutículas. Depois de colorir, é necessário selar a cutícula e neutralizar os resíduos oxidantes das tinturas. Conheça a seguir as cores de cabelo que vão atualizar a sua aparência e tudo o que é necessário levar em conta na hora de sugerir uma transformação para a sua cliente, se você é cabeleireiro profissional. Loiros em alta Clarear o cabelo é ainda mais arriscado sem a supervisão de um cabeleireiro — os castanhos, por exemplo, podem ficar alaranjados! Outro cuidado para quem pretende ficar loira é fazer retoques mensais para deixar o loiro luminoso. Além disso, usar no dia a dia um xampu antioxidante para o tom não ficar esverdeado ou amarelo. Uma vez por semana aplique uma máscara hidratante para evitar a secura. Escolha agora um loiro para chamar de seu... Manteiga ou neutro Nem platinado, nem escuro quente: o loiro do inverno que já conquistou famosas, como Sophie Turner, Jennifer Lawrence, Hailey Baldwin, Elsa Hosk e Khloe Kardashian, está próximo do bege, areia, nude e perolado. “É o meio do caminho entre o loiro platinado e o loiro escuro. Para alcançar o perfil neutro, é feita uma combinação de nuances quentes e frias. A fusão resulta em um visual sofisticado, com muita luminosidade”, explica Jackson Nunes, hairstylist do In Beauty Luxury, em Campinas (SP). Além de dar um aspecto moderno e delicado, as cores de cabelo neutras valorizam todos os tipos de pele e não exigem muita manutenção, uma vez que as técnicas de coloração visam deixar um efeito de clareamento natural dos cabelos.   Fotos: Reprodução   Platinado Os fios claríssimos, quase brancos, com fundo acinzentado (também chamados de loiro frio ou gelo), são tendência. A opção é perfeita para quem já tem o cabelo descolorido. Para o resultado ficar bonito, o ideal é manter a raiz escura e criar uma transição bem esfumada. Essa técnica também ajuda a diminuir a necessidade de retoques. Depois da coloração é fundamental aplicar xampu roxo, que possui concentração de pigmento violeta: ele neutraliza reflexos indesejados e mantém o platinado radiante.  Fotos: Reprodução/Pinterest e Shutterstock   Loiro mel Quem já é loira ou tem fios castanho-médio pode conquistar facilmente o loiro mel da temporada. No caso de fios mais escuros, é necessário descolorir e depois tonalizar para atingir o resultado, o que acaba danificando muito o cabelo. A tonalidade mais quente pode ser aplicada por igual em toda a cabeça ou aparecer em mechas sutis, com a raiz esfumada. Assim não dá para perceber onde o clareamento começa.  Foto: Shutterstock   CASTANHOS CHIQUES O castanho e suas variantes caem bem em todos os tons de pele, das branquinhas às morenas, e combinam tanto com o inverno quanto com o verão. Nesta estação eles estão mais badalados do que nunca, graças à tendência dos tons terrosos. Pintar as madeixas de castanho não tem segredo, mas caso você se sinta segura para dar um passo além da coloração uniforme, pode testar a técnica da marmorização. Ela ilumina as mechas que emolduram o rosto e outras, no meio do cabelo, quebram o visual chapado. Confira os castanhos que são trend entre as cores de cabelo da moda — um deles está no vídeo de antes e depois, no final deste post, realizado pelo professor Mychael Alcântara, do curso de cabeleireiro do Instituto Embelleze unidades Praça da Sé e Tatuapé (SP). A transformação foi inspirada no castanho desejo da atriz Juliana Paes na novela A Dona do Pedaço.  Castanho terroso Os tons do deserto são a opção perfeita para deixar o cabelo loiro-escuro mais quente e glamouroso. A ideia é usar alguns marrons para ressaltar vários pontos de luz em toda a cabeça. E foi o que o cabeleireiro Felipe Freitas, do FIL Hair & Experience, fez na atriz Juliana Paes, a Maria da Paz de A Dona do Pedaço. Ele aplicou as tonalidades terrosas com a técnica balayage, que cria mechas finas por quase todo o cabelo. Foto: Divulgação   Caramelo Essa versão iluminada da cor pode tingir luzes no cabelo castanho-claro, médio ou escuro, porque não cria um contraste muito marcante. É perfeita para ressaltar a cor de base.  Foto: Reprodução/Pinterest   Chocolate Quer continuar morena? O chocolate é a sugestão ideal para quem deseja sair do preto, mas sem cair no loiro. Para a cor de cabelo ficar glamourosa, intercale mechas marrons de tonalidades mais claras com escuras.   Fotos: Reprodução/Pinterest   Cold brew coffee A inspiração para essa nuance é uma bebida de mesmo nome, um café gelado com aparência semelhante ao refrigerante de cola. A coloração é um castanho com um pouco de vermelho e mogno. O cold brew dá um efeito iluminado lindo e sofisticado ao cabelo escuro.   Fotos: Reprodução/Pinterest   PRETO MARCANTE A tonalidade mais escura da cartela de cores de cabelo volta à cena depois de décadas. Como se fixa bem em fios claros, como castanhos e loiros, o preto tem alto poder de cobertura. No entanto, se você tem luzes ou mechas, o recomendado é descolorir antes para que o preto fique uniforme. Veja qual é o matiz de preto que está em alta... Preto azulado Essa tonalidade clássica volta à cena depois de décadas! Ela tem reflexos acinzentados e, por isso, ganha o aspecto azul, principalmente sob o sol. O cinza acaba deixando a cor fria e mais intensa que o preto natural, o que também evita que os fios desbotem para o vermelho. A numeração 1 depois do ponto indica que o reflexo é acinzentado, ok?   Foto: Reprodução/Pinterest   RUIVOS E VERMELHOS Os pigmentos avermelhados são partículas grandes que têm dificuldade de se instalar dentro do fio. Eles acabam se fixando superficialmente e se desprendem com mais facilidade. Por isso, cabelo vermelho se torna gradativamente loiro-dourado ou alaranjado com as lavagens. Anote os cuidados: não lave os fios mais do que três vezes por semana, use xampu neutro, não esfregue o cabelo molhado com intensidade na toalha e invista em produtos especiais para ruivos e vermelhos, que realçam mais a cor. Fique por dentro das principais tendências de cores de cabelo!  Blorange ou ruivo pessego Ousado, o tom alaranjado com nuances de rosa e dourado já fez a cabeça de muitas mulheres. É uma cor de cabelo fantasia, perfeita para quem busca uma transformação radical. Para conquistá-la, o primeiro passo é descolorir os fios.   Fotos: Reprodução/Pinterest   Ruivo acobreado Para alcançar o tom, esqueça as nuances de vermelho e laranja. O pulo do gato é manter o seu fundo de cabelo natural e matizá-lo com reflexos acobreados. A técnica pega melhor em quem é loira ou tem cabelos castanhos-claros.     Foto: Reprodução/Pinterest   Vermelho carmesim Forte, brilhante e profundo, esse vermelho não é nada discreto. Cabelos do castanho ao preto necessitam de descoloração seguida de tonalização. Diminuir a frequência das lavagens é essencial para segurar o tom.   Foto: Shutterstock   Técnicas para aplicar as cores de cabelo da moda Os métodos de aplicação das tinturas vão se aperfeiçoando e mudando conforme as tendências em alta. Conheça o que vem por aí... Luzes marcadas O que antes era tido como artificial agora é moda. As luzes bem marcadas, especialmente na parte da frente do cabelo, ajudam a iluminar o visual. Esfumado degradê A técnica é indicada para quem quer clarear o cabelo sem radicalismo, já que a raiz fica mais próxima da cor natural e vai clareando gradativamente pelo comprimento até as pontas. A combinação de luz e sombra realça o movimento do cabelo e tem a vantagem de exigir menos retoques. Ombré hair Perfeita para ser feita na coloração loiro mel da moda, o ombré ilumina apenas as pontas dos fios. Haircontour É um método inspirado na famosa maquiagem de contorno e funciona como uma moldura, feita de acordo com o formato de rosto de cada mulher. Alguns pontos da cabeça são iluminados (com técnicas de clareamento à mão livre — hands free) e outros são sombreados (com tinturas ou tonalizantes escuros). Se você quer disfarçar a testa grande, evite descolorir os fios da raiz próximos à área. Quer valorizar o bocão? Faça um degradê de luzes a partir das têmporas.        
> Leia mais
Anterior
Próximo
1 / 6
Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!
Copyright © 2019 · Todos Direitos Reservados