Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza
Voltar

Make

Fotos: Shutterstock

Aula de maquiagem para iniciantes: como aplicar a base

Aprenda de uma vez por todas o passo número 1 da boa maquiagem, que é a preparação da pele. Confira nosso guia definitivo e o tutorial top de aplicação

O momento mais importante de uma maquiagem, que define se ela vai ficar linda ou não, é a cobertura da pele com base. No tom e na fórmula certos, ela proporciona uma cútis uniforme com brilho saudável e ainda parece invisível. Por ser um cosmético tão essencial, deve ser escolhido com cautela! Na hora de comprar, privilegia composições que contenham agentes hidratantes e fator de proteção solar, além de combinar com o seu tipo de pele — seca, normal, oleosa ou mista e sensível. Também dedique um tempo para descobrir qual é o seu tom. Aliás, essa é outra questão fundamental para um resultado final perfeito. Acompanhe todas as dicas da maquiadora Anildes Pereira, instrutora pedagógica do Instituto Embelleze unidades Praça da Sé e Tatuapé (SP), que também gravou um vídeo mostrando passo a passo o jeito certo de aplicar. Tem cada segredo nesta aula de maquiagem para iniciantes...

 

tipos de base

Tipos de base – A escolha ideal e como usar

Líquida: é o tipo mais fácil de aplicar e oferece naturalidade no resultado. Por ter uma cobertura leve, em geral, não cobre manchas acentuadas nem olheiras profundas. À base de água (oil free) é perfeita para peles oleosas e sensíveis; as composições que vão óleo são indicadas para as peles normais e secas. Coloque um pouco no pincel chato (também chamado de língua de gato) e espalhe na pele. Depois dê acabamento com uma esponja.

Mousse: não tem poder de cobertura tão bom quanto a base líquida; deixa um acabamento opaco e natural. Pode ser usada tanto nas peles secas quanto nas oleosas, pois a maioria das formulações é oil free. Aplicá-la com um pincel é o mais apropriado, no entanto, como ela seca rápido, você tem que ter agilidade.

: indicado para cútis oleosa, pois sua textura ajuda na absorção da oleosidade. Se o seu desejo é uma pele sem brilho, essa é a melhor opção. Faz uma boa cobertura, mase tende a deixar o visual meio pesado caso não seja bem aplicada. Espalhe a base em pó no rosto com um pincel de cerdas naturais e finalize com uma esponja.

Cremosa: possui alta cobertura e é perfeita para peles secas ou maduras, já que não se acumula nos vincos das ruguinhas. Mas as oleosas devem passar longe dela, pois é muito pesada. Pincéis com cerdas sintéticas são boas opções para aplicá-la.

Bastão ou stick: pense na versão mais pesada de uma base... é esta! Tanto, que também é utilizada como corretivo. É recomendada para peles irregulares (com acne ou cicatrizes de acne, por exemplo), com olheiras e manchas acentuadas. A base em barra precisa ser muito bem espalhada para não ficar artificial. O melhor pincel para isso é o kabuki com cerdas curtas e achatadas.

Air brush: é um aerógrafo que deposita na pele base líquida, substituindo o pincel. Por meio de ar a base vai saindo do aparelho e tingindo o rosto. A vantagem dessa tecnologia é o acabamento suave e impecável: uma vez que não precisa ser espalhada depois de aplicada, evita que a base fique com possíveis marcas de ranhuras do pincel ou “carimbos” da esponja. Oferece uma durabilidade extensa de até 12 horas.

 

como escolher o tom da base

A cor certa pra você – Aprenda a adequar à sua pele

Uma das maiores dúvidas – se não a maior – em relação à base é a escolha da cor, que combine perfeitamente com o tom da pele para proporcionar um resultado natural. O melhor jeito de acertar na compra é experimentando – e no rosto! Nada de espalhar um pinguinho no dorso da mão ou no interior do antebraço. O correto é testar a cor na própria face. A explicação é simples: a pigmentação do rosto é diferente da pele mais escurecida da mão e muito clarinha do braço.

Experimente a cor da base na linha da mandíbula. O produto deve desaparecer na pele e misturar-se harmoniosamente entre o rosto e o pescoço.

 

Segredos de aplicação – Para um acabamento natural

Usando um pincel próprio para base, aplique um pouco do produto no centro do rosto, descendo em direção ao nariz e trabalhando para fora, sobre as bochechas. Pronto, agora, com uma esponja macia, tipo beauty blender (aplicador em forma de gota,) faça o movimento de pressionar e soltar a esponja em toda a extensão com base, de modo que ela vá sendo depositada na pele, cobrindo a área.

Aliás, guarde bem essa palavra: depositar. Esse é o segredo de 10 entre 10 maquiadores profissionais para fazer a base aderir à pele e proporcionar aquele resultado natural perfeito. A base não deve ser espalhada com pincel em movimentos de vai e vem, ok? Você tem que ter paciência e ir depositando o cosmético, o que pode levar tempo.

Agora, aplique mais um pouco de base na região do queixo, da boca e da mandíbula e repita o processo com a esponjinha. Finalize a aplicação na testa e nas pálpebras (isso ajuda na fixação da sombra depois). Com a beauty blender uniformize a base em todo o rosto.

 

Cobertura impecável – Complementos de correção

Uma pele sem imperfeições ganha uma aparência linda e uniforme só com a base e não precisa de mais nada. Porém, a cútis que tem manchas escuras, pequenos vasinhos avermelhados, cicatrizes ou olheiras deve continuar o processo de cobertura com um corretivo. Sim, esse produto vem depois da base, pois é aplicado pontualmente. Caso contrário, ele sai do lugar quando a base for espalhada.

Geralmente o corretivo líquido é universal para todos os tipos de pele e imperfeições, mas você também pode optar por corretores em creme, caneta ou bastão. Os maquiadores profissionais costumam usar dois tons do produto, um mais claro e outro mais escuro que a pele, misturando-os para obter o tom exato de cobertura da imperfeição.

O corretivo deve ser amarelado e o tom ideal é determinado pela cor da sua pele. A tabela a seguir não é uma regra, mas costuma ajudar na escolha:

como escolher o tom do corretivo

Evite corretivos muito rosados ou brancos. Usar uma tonalidade muito clara sob os olhos enfatiza a área escura em vez de disfarçá-la, deixando você com olhos de panda. A escolha do cosmético depende do tipo de pele e da área em que será aplicado. Para que não fique visível, necessita de uma aplicação correta, senão você acaba realçando o que está tentando disfarçar. Faça assim: deposite o produto com um pincel apropriado na área que deseja camuflar e depois uniformize dando leves batidinhas com a ponta do dedo ou com o lado fino da esponja beauty blender.

 

maquiagem de contorno

Ângulos perfeitos – Base de contorno

Ao preparar a pele para a maquiagem, você pode modificar ângulos do rosto, afinar ou engrossar áreas, esconder ou realçar traços tirando proveito da técnica de contorno. Ela é feita usando base ou pó opaco: dois ou três tons mais escuros que a sua pele para disfarçar ou mais claros para destacar. Com o contorno dá para minimizar imperfeições, como:

  • Queixo duplo – Aplique um pó escuro abaixo do queixo para suavizar a aparência. Passe pó claro na ponta do queixo e uniformize bem os cantos.
  • Nariz largo ou grande – Para afinar, faça uma linha vertical nas laterais do nariz com pó escuro e esfume. Para encurtar, passe o pó abaixo da ponta do nariz e esfume.
  • Testa larga ou alta – Disfarce o efeito saltado aplicando o pó escuro ao longo da testa. Se quiser diminuir a largura, faça um sombreado nas têmporas.

Para enfatizar uma característica, como as maçãs do rosto, utilize pó ou base opaca um tom mais claro do que a sua pele (um iluminador). Aplique ao longo da parte superior de cada maçã. Para tornar os olhos maiores, realce a área abaixo do osso da sobrancelha.

 

Antes e depois da base

A maquiadora Anildes Pereira, instrutora pedagógica do Instituto Embelleze unidades Praça da Sé e Tatuapé (SP), gravou um vídeo com o passo a passo de aplicação da base, do corretivo e do contorno para você aprender de uma vez por todas a preparar a pele para a maquiagem. Veja só que perfeito o antes e depois na modelo. Animada? Vamos lá!

antes e depois de aplicação da base como aplicar base de maquiagem


Tags

maquiagem, base, passo a passo, pele, maquiagem profissional, maquiador profissional, corretivo, iluminador, make de contorno

Comentários

Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!

Veja também ...

FRANJA: ESCOLHA O ESTILO QUE COMBINA COM O SEU ROSTO
Tem coisa que nunca sai de moda, não é mesmo? Podem passar anos e anos que sempre cai bem. Assim é com a franja, que não perde espaço no universo da moda e da beleza. Os vários estilos vão e voltam, mas estão sempre aparecendo nas cabeças das celebridades e de homens e mulheres que buscam um visual diferente. Peraí, homens? Sim! Eles também se renderam aos encantos das franjas, principalmente as longas, que estão em alta em alguns cortes. Mas por que será que a franja é tão bem-vista por tanta gente? Simples! Ela tem fama de trazer um ar jovial, além de se desdobrar em diversas opções. Ou seja, ideal pra quem quer rejuvenescer e dar aquele ar moderno à aparência. Por isso, é muito comum alguém aparecer com franja no trabalho após um feriado prolongado, na volta das férias da faculdade ou até mesmo após superar uma fase difícil na vida. É como se ela expressasse aquela sensação de “Mudei”, “Sou outra pessoa”, “Nova fase”. E o melhor é que funciona mesmo! Não faltam elogios e comentários para quem resolve aderir à onda da franjinha. Portanto, todo profissional precisa estar super por dentro das tendências e também dos modelos tradicionais de franja, sempre pronto para sugerir a melhor opção aos clientes. Aí vai uma ajudinha com os tipos de franja mais pedidos no momento... Franja tradicional É o formato mais comum e um dos mais usados. Cortada em camadas densas e compactas, na altura da sobrancelha, ela tem uma aparência reta. Esse estilo é ideal para quem não pretende ousar muito, mas não abre mão de uma boa mudança. Dica: é perfeita para rostos em formato oval ou triangular. Franja lateral É aquela cortada em camadas que se iniciam na altura dos olhos e terminam na ponta do nariz, deixando bastante volume na lateral. Ideal para quem quer destacar o olhar e dar aquele ar moderno ao rosto. Indicado às clientes que desejam um aspecto um pouco mais volumoso no cabelo. Dica: funciona muito bem em rosto quadrado.     Franja repicada Nesse tipo de franja, os fios são repicados de dentro para fora, sempre abaixo da sobrancelha. As laterais ficam um pouco mais compridas, por isso é perfeita com penteados presos, como coques e rabos de cavalo. Dica: vai bem em quase todos os formatos de rosto, mas não é indicado aos mais arredondados.   Franja desconectada É aquele tipo mais curtinho, acima da sobrancelha. Os fios são desfiados deixando a franja lateral, porém cobrindo toda a testa. A aparência desconectada deixa o visual mais fashion e atraente. Dica: combina com quase todos os tipos de rostos, mas deve ser evitada nos redondos.   Gostou das opções? Então, você também vai gostar de saber que tem muito mais dicas sobre cortes, penteados e tendências de cabelos no curso de Cabeleireiro Profissional Academy Hair do Instituto Embelleze. 
> Leia mais
CORTES DE CABELO MASCULINO PARA CRESPOS, ONDULADOS E LISOS
Desde que a indústria da moda e da beleza olhou para a ala masculina de modo especial, as novidades nunca mais pararam de surgir. Das passarelas fashion saem roupas cheias de bossa e cortes e penteados repletos de charme e estilo. Nada mais é apenas o tradicional para os homens. Tanto que até a clássica profissão de barbeiro não é mais a mesma. Há algum tempo as barbearias têm investido alto em informação e capacitação para trabalhar com técnicas modernas e diferenciadas e, assim, atender aos desejos do público masculino. No quesito cabelo, as tendências estão cada vez mais ousadas. A influência americana e europeia trouxe formas e texturas que, definitivamente, subiram à cabeça deles. “Para este ano, não tenho dúvida de que, dentre os cortes de cabelo masculino da moda, o graduado e suas variações vai ser o grande hit. Conhecido popularmente como degradê (em inglês, fade), o corte se concentra na parte de baixo da cabeça, a partir das orelhas — laterais, trás e nuca. O topo pode ser elaborado a gosto do cliente”, diz Jimmy Medeiros, instrutor do curso de Barbearia do Instituto Embeleze de Taguatinga, Brasília. De acordo com o expert, o estilo que combina base graduada e corte livre na parte superior é chamado de corte híbrido e é exatamente essa proposta que vai pegar. Quer saber o que vem por aí e como fazer a melhor escolha para cada tipo de cabelo? Leia a seguir!    Graduado médio com nudred: ideal para cabelo afro Foto: Reprodução/Instagram Corte Também chamado de mid fade e taper fade, o graduado médio é feito à máquina nas laterais. A gradação (ou esfumado) fica restrita à base da cabeça e os pentes utilizados na máquina de corte são 0 (zero), ½ (meio) e 1 (um). “Para o graduado médio a linha inicial é feita com o 0 (zero) e deverá subir, aproximadamente, dois dedos da nuca e também nas laterais, tendo a altura das orelhas ou das sobrancelhas como referência de limite. Já na parte superior da cabeça, o comprimento dos fios deve ter, no mínimo, dois centímetros de altura”, explica Jimmy. Penteado A onda agora é pentear os fios longos do topo da cabeça com a esponja nudred. Esse produto é próprio para cabelo crespo ou afro, curtos, e específico para fazer cachos. Parece uma esponja de lavar louça, porém é bem grossa e um dos lados é todo perfurado para modelar os cachos. Na hora de produzir o penteado, aplique um pouco de pomada de modelagem no cabelo e passe o lado com furos da esponja sobre os fios em movimentos circulares, no sentido horário. Passe quantas vezes forem necessárias até formar os cachinhos. Finalize com uma névoa de spray fixador.   Graduado navalhado com mechas quiff: para cabelo ondulado a cacheado Foto: Reprodução/Instagram Corte O corte de cabelo masculino também conhecido como high fade nasceu nos anos 1950. Ele tem a parte superior elaborada com mechas quiff, que em inglês significa topete. Ou seja, o corte não passa de um degradê longo em cima, formando um topete alto, e mais curto no restante da cabeça. “Nessa gradação, cria-se inicialmente uma linha com o pente 0 (zero) da máquina e, toda a região abaixo desta linha, é cortada com a navalhete. Depois, deve ser utilizado o pente 0 (zero), ½ (meio) e 1 (um) para fazer a gradação. Já os fios do topo são cortados com tesoura para formar as mechas quiff. Resultado: laterais e o quadrante de trás do cabelo curtos — com tamanho aproximado de 6 cm ou 3 dedos – e o quadrante do meio e da frente do cabelo maiores para que o volume seja valorizado”, diz Jimmy. Penteado A finalização deste corte deve ser feita com secador e escova. Escove de trás para frente até os fios ficarem lisos. Depois, aplique um pouquinho de pomada fixadora de efeito seco nas mãos e penteie as mechas para trás, marcando as camadas do corte. Use spray fixador, se necessário. O visual fica cuidadosamente bagunçado e com uma leve ondulação.     Social curto com topete: indicado para os lisos Foto: Reprodução/Instagram Corte A gradação também pode ser feita no social curto e é perfeita para aquele cliente que foge do pente zero (0) da máquina. “Os pentes utilizados são 1 (um), 1 e ½ (um e meio) e 2 (dois). A nuca e as laterais são trabalhadas primeiro com pente 1. As laterais ficam com altura de 3 a 6 cm (ou dois a três dedos) para poderem ser integradas à parte superior com a gradação, que utiliza pente 1 e ½ (um e meio).  O topo da cabeça é cortado em degradê com tesoura, devendo ficar com 10 cm de comprimento para a criação do topete. Penteado Aplique gel de fixação média a forte em todo o cabelo do topo e, com um pente jacaré (de dentes largos), elabore um topete.   Você também pode aprender a cortar cabelo masculino e se tornar um expert. Informe-se numa unidade do Instituto Embelleze mais próxima a você! 
> Leia mais
Copyright © 2020 · Todos Direitos Reservados