Experts    |    Eu, profissional    |    Tendências    |    Guia da Beleza
Voltar

Cabelo

Foto: Reprodução/ Divulgação

Como fazer a transição capilar sem sofrer

Nosso guia completo ensina a passar por todas as fases da transição capilar com um visual lindo e saudável. Você ganha os cachos (e a autoestima) de volta sem nem perceber!

Celebridades, como a cantora Ludmilla e até a ex-primeira dama americana, Michelle Obama, estão arrasando com seus cachos naturais depois da transição capilar. O processo consiste em recuperar e assumir o formato ondulado ou crespo depois de ser lisa por um determinado período de químicas artificiais. Sair da progressiva, escova definitiva, relaxamento ou outros métodos não é nada fácil, a gente sabe, afinal demanda muita paciência e cuidados especiais durante um bom tempo. Mas quem já encarou a situação assina embaixo: vale a pena! E é justamente essa propagação positiva a responsável pela forte tendência na adesão de cada vez mais mulheres à transição capilar. Entre os motivos relevantes dessa mudança de comportamento estão o poder nocivo das substâncias que alisam e a libertação de ter um cabelo cacheado natural (e por consequência mais saudável!).

Se você é cabeleireiro profissional, saiba que pode ajudar e muito sua cliente “artificialmente lisa” a resgatar os fios naturais. Precisa de uma orientação? Então siga o nosso guia completo que ensina a passar por todas as etapas da transição capilar sem sofrer.

  cantora ludmilla transição capilar   cantora ludmilla transição capilar

A cantora Ludmilla e Michelle Obama antes e depois da transição capilar

 michelle obama transição capilar   michelle obama transição capilar

FASE 1 – Abandonar a química

A partir do momento que você decide não retocar mais o procedimento químico, é preciso segurar a ansiedade e começar a exercitar a paciência. Para uma transição capilar sem drama ou complicações, a melhor saída é focar no objetivo de recuperar os fios naturais e a saúde do cabelo. “Isso porque o processo pode ser demorado e diferente para cada tipo de cabelo, então é preciso saber esperar. E não tem como mensurar o período exato que é necessário, deve ser analisado caso a caso. É bom ter em mente que nenhum produto é milagroso, o melhor aliado nesse projeto é mesmo o tempo”, enfatiza Douglas Baptista, cabeleireiro e gestor Pedagógico do Instituto Embelleze Franchising.

Outro ponto importante é que quanto maior a diferença de textura entre os fios naturais e os processados quimicamente, maior a necessidade de saber esperar. Mas além de resiliência, alguns métodos podem ajudar bastante como penteados que disfarçam, um bom corte (na hora certa!), produtos que nutrem e hidratam e cuidados essenciais no dia a dia. Tudo isso pode amenizar a angústia dessa fase de ansiedade. “Esse arsenal de alternativas, além de auxiliar na beleza e saúde do fio, auxilia na harmonização de texturas similares entre pontas e raiz e no crescimento do cabelo, fazendo com que o período da transição capilar passe mais rápido”, garante Douglas.

FASE 2 – Esperar o cabelo crescer

Além da paciência, a transição capilar ainda envolve a autoestima, tema delicado para as mulheres. No entanto, existem alguns cuidados especiais para resistir (e persistir) com tranquilidade neste período em que o cabelo fica sem forma e com um volume indesejado. Hora de se munir com alguns truques espertos para viver em paz com a raiz ondulada e o comprimento liso:

Não vá contra a natureza. Pense sob o ponto de vista de aceitar o cabelo como ele é, e assumir sua identidade. “Isso significa, antes de qualquer coisa, uma desconstrução de padrões, o que é libertador tanto físico quanto socialmente”, destaca Douglas Baptista. Afinal, quem disse que cabelo bonito é necessariamente liso? Essa aceitação do natural só aumenta a autoestima e favorece bastante o processo de resgate dos cachos.

Aproveite para brincar com a sua imagem. Use o período de transição capilar para abusar dos acessórios e adotar um visual diferente. Lance mão de lenços, turbantes e bandanas – os tecidos estão super em alta como adorno de cabeça. Então, se joga!

Penteados são sempre um sucesso. Não faltam opções para deixar os cabelos presos com estilo: moicanos, tranças embutidas nas laterais ou partindo da região da frente da cabeça e, claro, o clássico rabo de cavalo são bem-vindos. E para quem gosta de sair do lugar-comum, os famosos apliques e as extensões capilares também podem ser muito úteis nesta fase da transição capilar.

Não hesite em optar pela texturização. Isto é, uma técnica para disfarçar a diferença entre as duas texturas: a do cabelo cacheado que vai nascendo e a da parte alisada que vai perdendo o jeito de fio reto e pode ficar com uma ondulação estranha. O método da texturização é simples: consiste em cachear a parte alisada com bobes ou bigudinhos. A dica aqui é evitar ferramentas de calor, como o babyliss, por conta da fragilidade em que o fio se encontra.

Invista no cosmético certo. Neste período da transição capilar, os fios estão mais porosos, sem vida e quebradiços, portanto é indispensável investir numa linha de xampu, condicionador e leave-in rica em proteínas e ativos emolientes e regeneradores, os mesmos indicados para cabelos secos e quimicamente danificados. Uma vez por semana é preciso fazer um protocolo com uma máscara bem hidratante para repor a água dos fios, que pode ser potencializada com o uso de uma ampola power, também de hidratação. Além disso, alguns detalhes ajudam e muito! Veja só:

  • A ideia é não economizar nos cremes de pentear, leave-ins e máscaras de finalização, que ajudam a dar forma ao cabelo e, por consequência, mantê-lo domado.
  • Fuja dos xampus anti-resíduos ou de limpeza profunda, porque são agressivos. A transição capilar fragiliza a fibra e é comum ela quebrar e cair com um pouco mais de facilidade.
  • Formulações suaves, como nos produtos Low e No Poo, higienizam na medida certa. Elas contêm pouco ou nenhum sabão detergente, evitando, assim, que os tratamentos de hidratação sejam removidos, mantendo o fio hidratado e nutrido.
  • Invista da linha DNA do Cacho, da Embelleze, para tratamentos em salão, além de cuidar da saúde do fio, mantém uma curvatura bonita e natural, mesmo na etapa difícil da transição capilar.

FASE 3 – Cuidar intensamente da saúde dos fios

O fio danificado por químicas alisantes perde sua proteção natural – as cutículas; e, com o tempo, fica desidratado, sem nutrientes e com pouca matéria. Sim, não sobra quase nada! O cronograma capilar é fundamental nesta fase. Os tratamentos do calendário, que alternam hidratação, nutrição e reconstrução são muito úteis, pois têm princípios ativos diferentes e se complementam fornecendo aos fios tudo o que eles precisam na etapa de fragilidade extrema.

  • A hidratação, feita com máscaras concentradas, repõe a água.
  • A nutrição recupera o lipídeo (aquela oleosidade natural da raiz que nutre o fio) e os ativos essenciais, e pode ser feita com óleos comerciais, de linha, ou os naturais como, por exemplo, o de coco, amêndoa ou oliva.
  • A reconstrução é essencial para recuperar a queratina e formar de novo a cadeia de aminoácidos que reestrutura o fio danificado por químicas pesadas, como as dos métodos de alisamento. Geralmente, os produtos ideais para reconstruir o fio são à base de óleos e manteigas, como os de karité, argan, murumuru.

FASE 4 – Livrar-se de vez da parte lisa do cabelo

Quando chega a fase em que já é possível cortar uma boa parte dos fios alisados e começar a dar forma ao caimento dos fios naturais é sinal de que a angústia da transição capilar está chegando ao fim! No entanto, é preciso conhecimento para saber qual o momento certo de recorrer à tesoura. Dependendo do caimento do cabelo, quando a raiz crespa começa a crescer, o comprimento costuma ficar muito irregular, por isso é importante ouvir a opinião de um cabeleireiro. Em alguns casos o corte reto, o mais desejado pelas mulheres por significar “adeus à tortura”, pode deixar as pontas desiguais e não ter um caimento harmônico. Já o corte em camadas é quase sempre a melhor solução, pois ele traz simetria ao cabelo. Mas ainda assim é importante analisar caso a caso, pois essa teoria pode não se aplicar para algumas mulheres. Só mesmo um profissional especializado para indicar a hora e o estilo do corte correto. As mais corajosas costumam cortar o mal pela raiz, literalmente. Se jogam no corte radical, bem curtinho, conhecido como Big Chop – nesse caso, não há nenhuma contraindicação, é só querer.

 nathalie emmanuel transição capilar nathalie emmanuel transição capilar

A atriz Nathalie Emmanuel também decidiu assumir os lindos cachos

Tags

transição capilar, cabelo cacheado, cachos naturais, selagem térmica, reconstrução capilar, frizz, cabelo crespo, cachos de volta, escova modeladora, cabeleireiro

Comentários

Fique por dentro
Cadastre-se e receba as novidades!

Veja também ...

RITUAL DETOX ELIMINA A OLEOSIDADE A JATO!
As causas da oleosidade no couro cabeludo são muitas e precisam ser diagnosticadas por um dermatologista para tratar casos como dermatite seborreica ou alguma disfunção na produção das glândulas sebáceas. Tirando isso, o cabelo pode parecer oleoso no dia a dia por excesso de creme, longos intervalos entre as lavagens e até pelo uso de produtos que não são indicados para o seu tipo de fio. Outras razões possíveis: o hábito de ficar passando as mãos constantemente no cabelo, lavar com água muito quente e lavar além do necessário (o que acaba estimulando ainda mais a fabricação de sebo). O calor e o clima muito quente também podem estimular a oleosidade. Enfim, seja qual for a origem do problema, existe um tratamento de salão que resolve a questão chamado Ritual Detox, uma desintoxicação capilar que purifica o couro cabeludo e limpa os fios profundamente, eliminando resíduos oleosos que emplastram o cabelo no dia a dia.Mas antes de falar sobre esse procedimento, vale destacar que quem tem cabelo oleoso pode, sim, lavá-lo todo dia, assim como a pele. O que muda é a quantidade de cabelo que cada pessoa tem, fato que influencia no processo de secagem. Enquanto uns levam mais tempo para secar, outros secarão mais rápido. Já dormir com o cabelo molhado não é legal, pois a umidade no couro cabeludo cria um ambiente favorável à proliferação de fungos e bactérias, o que provoca oleosidade. Veja como funciona o Ritual Detox Mais do que uma técnica de limpeza e purificação, o Ritual Detox ou Desintoxicação Capilar feita com produtos da Salon Embelleze, também cuida do couro cabeludo e hidrata os fios, deixando-os mais leves. Essa técnica é indicada para quem possui cabelos muito oleosos na raiz e pontas ressecadas, inclusive após a lavagem. Funciona assim: O primeiro passo é a aplicação do Primer Capilar, que retira os minerais acumulados no fio que atrapalham processos de tratamento. O Primer precisa ser borrifado em todo o cabelo até ficar bem umedecido, aguardando o tempo de 10 minutos para a ação do produto. Em seguida, é hora de enxaguar todo o cabelo e aplicar o Revitay Shampoo Purificante, que elimina todos os resíduos sem ressecar o cabelo, além de tratar os fios e o couro cabeludo deixando-os livres de impurezas. Após a retirada do produto, é aplicada uma ampola de Serum Scalp Therapy para retirar de vez toda a oleosidade e nutrir o couro cabeludo. Para a aplicação, é preciso abrir o couro cabeludo e colocar o produto em pequenas porções, massageando para que fixe bem. Em sua fórmula, o Serum traz ingredientes como o extrato de chá verde, que age como um oxidante e previne o envelhecimento da fibra, e o extrato de gengibre, que tem ação antisséptica e estimula o crescimento dos fios. Depois, o cabelo deve ser dividido mecha a mecha para a aplicação do Detox Máscara dois dedos abaixo da raiz, massageando uma a uma. O produto é ideal para a hidratação e está disponível em duas versões: em gel, para cabelos mistos e oleosos, e em creme, para cabelos quimicamente tratados e ressecados. Para potencializar ainda mais a ação do produto, ele ficará em aquecimento por 20 min. antes do enxágue. Para finalizar, é só aplicar o Bruma Lacteé, composto pela flor da moringa, que facilita a escovação e possui agente antipoluição. O resultado é um cabelo mais leve, hidratado, solto, com aspecto natural e sem aparência oleosa.  Venha conhecer o curso de cabeleireiro profissional ou visite uma unidade do Instituto Embelleze mais próxima de você!  
> Leia mais
BARBOTERAPIA: O TRATAMENTO DA VEZ
Não é só um bom corte de cabelo o responsável pela beleza masculina. A barba também conta, porque faz parte do conjunto do rosto. Uma barba malfeita pode fazer um lindo corte passar despercebido. Para você que tem interesse pessoal ou profissional no assunto, se liga na barboterapia. Já ouviu falar? O QUE É BARBOTERAPIA É uma técnica que modernizou o jeito antigo de fazer a barba, cuidando dos pelos da face com um conceito de spa. Na barboterapia, além do corte e apara da barba, o profissional faz esfoliação e hidratação da pele com toques de relaxamento, o que ajuda a evitar o ressecamento, diminuir o aparecimento de pelos encravados e acelerar cicatrizações. É aquele empurrãozinho que faltava pra quem tem barba grande não passar a impressão de uma aparência relaxada e, pra quem exibe a barba curtinha ou zero, manter a pele hidratada, saudável e livre de irritações. O método traz uma série de benefícios para o cliente, pois o tratamento é individualizado e realizado de acordo com as necessidades de cada pessoa. Os produtos e materiais utilizados pelo barbeiro são específicos para a barboterapia — os itens facilitam o barbear, ajudam a pele a se restabelecer e a ainda dão conforto e bem-estar ao cliente. O resultado do tratamento é uma barba perfeita, bem alinhada e em harmonia com os traços do rosto. A barboterapia é uma excelente técnica para fidelizar os clientes que procuram cuidar da barba de maneira especial (diferente do básico que se faz em casa) e ainda por quem busca no cuidado um momento de bem-estar.     Quer aprender técnicas variadas para atender com excelência seus clientes? Então conheça o curso de Barbeiro ou visite uma unidade do Instituto Embelezze mais próxima de você.
> Leia mais
Copyright © 2020 · Todos Direitos Reservados